Primeiro foram os desportos. A natação, a musculação e até o atletismo obrigaram o homem a levar a lâmina por mares nunca antes navegados: depois da barba, a gillette começou a avançar pelo peito, costas, e até as pernas. Através do espelho e dos olhares das mulheres, os homens começaram a perceber o que a ausência de pêlos fazia pela sua aparência. Aos poucos, e apesar dos preconceitos, mais homens começaram a aderir à depilação, por questões estéticas.

Rapidamente os homens começaram a perceber que a sua amiga gillette não era a melhor aliada para a depilação nas costas, peito, ou pernas. Sendo um método que apenas corta o pêlo, o uso da gillette no peito ou costas provoca o efeito "barba" nestas zonas do corpo, tornando-as inestéticas.

Os homens procuraram então conhecer os métodos que as mulheres usam, como a cera. No entanto, devido à dor que este método provoca, os homens estão a aderir à <a href="http://www.depilacao.eu" target="_blank">fotodepilação</a>, nomeadamente à Luz Pulsada Intensa, ou IPL, que é indolor, e garante os mesmos resultados que a <a href="http://www.depilacao.eu" target="_blank">depilação a laser</a>, ou seja, a depilação definitiva.

Segundo declarou Alex Menezes Peral, franqueado de uma clínica, ao site Clicrbs, 50 por cento dos homens procuram a fotodepilação por ser indolor e por garantir a depilação definitiva. Alex Peral comentou ainda que "elas já não associam a masculinidade ao pêlo, e sabem que as mulheres preferem aqueles que não são peludos".