Um estudo recente realizado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps) revela que o Brasil é o terceiro país com mais cirurgias plásticas no mundo. Em primeiro lugar estão os Estados Unidos, e em segundo está a China, segundo o jornal brasileiro Primeira Edição. Em termos de procedimentos não cirúrgicos (laser, tratamentos com luz pulsada intensa, entre outros), o Brasil posiciona-se em segundo lugar, precedido pelos Estados Unidos, e seguido pelo México. O estudo foi realizado com base nos procedimentos cirúrgicos realizados em 2009 em todo o mundo.

Os brasileiros revelam-se assim um dos povos mais preocupados com a estética, sendo a lipoaspiração o procedimento mais procurado, em cerca de 18,8 por cento, seguido do implante mamário (17 por cento), cirurgia nas pálpebras (13,5 por cento), e no nariz (9,4 por cento), e na barriga (7,3 por cento).

O estudo demonstrou ainda que o número de procedimentos não cirúrgicos foi superior aos cirúrgicos, no Brasil. Os principais são: injecções de neuromodulares e toxinas, como Botox e Dysport (32,7 por cento), injecções de ácido hialurónico (20,1 por cento), eliminação de pêlos a laser (13,1 por cento), injecções de gordura do próprio paciente para outras áreas do corpo (5,9 por cento), e tratamento com luz pulsada intensa (4,4 por cento).