O Instituto da Defesa do Consumidor recebeu, entre Janeiro e Julho, dez processos de consumidores que pagaram sessões de depilação como sendo definitivas, mas em que os pêlos voltaram a crescer, segundo o jornal Expresso.

A Não + Pêlo e a Cellulem Block (com duas queixas cada) são as mais visadas, seguidas pela Corporación Dermoestética, com um caso, de acordo com os dados da Deco. As restantes cinco queixas envolvem pequenos cabeleireiros.