Meninos não têm vez. Numa família, o amor até pode ser dividido igualmente entre filhos e filhas, mas os gastos dos pais são muito mais altos com o sexo frágil do que com o sexo forte. Ao nascer, essa diferença fica em torno de 10%, mas à medida que os irmãos crescem, ela se multiplica e pode chegar a 200%. A diferença é atribuída pelos especialistas aos cuidados dispensados e à cultura que cerca as meninas, que acabam pesando muito mais no bolso dos pais. Manicure, depilação, escovas de cabelo, roupas de marca e acessórios, que começam nos lacinhos e terminam em bolsas caras, joias e sapatos de salto, são os vilões dos gastos femininos. No dia das crianças, a diferença também pode ser percebida.

"Minha filha gosta de tudo. Eu só não sei ainda se ela gosta de velório", brinca a consultora empresarial Tânia Maria Gomes de Macedo, mãe de Rafael, 14 anos, e Larissa, de 15. Ao todo, os gastos mensais com Larissa chegam a R$ 500. Já Rafael, gasta apenas R$ 80 mensais, em média. No aniversário de 15 anos, Larissa ganhou um festa de debutante e uma viagem à Disney. Este ano, será a vez de Rafael completar 15 anos, mas ele não quer viajar, pediu apenas um notebook. Com a filha, Tânia tem gastos regulares com depilação (R$ 40, de 15 em 15 dias), unha (R$ 20 toda semana) e cabelo (no mínimo R$ 50 por mês) e diversão (R$ 150 mensais). Isso sem contar as saidinhas com a turma e as idas à sorveteria, que consomem outros R$ 100. Não fazem parte dessa conta os presentes de aniversário de 15 anos para as amigas. Com o filho, são no máximo R$ 100 ao mês.

"Desde que eles nasceram sempre foi assim. As roupinhas para meninas precisam de um acessório, um sapato. Quando crescem, elas ficam mais vaidosas e precisam de uma bolsa. Além disso, meninas pensam muito mais em marcas do que os meninos", avalia a consultora. Santuza Prado, produtora de moda, concorda. Ela tem um casal de filhos: João, de quatro anos, e Júlia, de cinco. "Gasto muito mais com ela do que com ele", reconhece. Nos últimos três meses, foram R$ 300 mensais com Júlia e R$ 100 ao mês com João.

Santuza observa que a oferta de roupas, acessórios e brinquedos é muito maior para meninas do que para meninos. "Fico com pena dele, sempre tento comprar uma quantidade mais equilibrada, mas não consigo. Ele gosta de roupas, mas eu compro para ela e guardo no guarda roupa sem que ele veja". A situação vai se repetir no Dia das Crianças, quando Júlia ganha uma Polly que nada e ele uma mochila com massinha e apetrechos. "O dela é muito mais caro", diz a mãe.

Aparência Pesquisa da TNS Research International, divulgada na semana passada, mostra que entre os adolescentes brasileiros, produtos e serviços ligados à aparência, como roupas e acessórios, são os campeões de venda. Segundo o levantamento, as meninas desembolsam em média R$ 69 por mês e os meninos um pouco menos, R$ 65 mensais. Nas classes A e B, no entanto, o gasto pode chegar a R$ 87 mensais.

Claúdio Felisoni de Ângelo, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (Feausp) e coordenador do programa de administração do varejo da Fundação Instituto de Administração (FIA), explica que os gastos com um ou outro sexo também dependem do nível de renda das famílias. "Um dos itens fundamentais é a educação. Mas os cuidados pessoais são fundamentais na hora de estabelecer diferenças e a mulher tende a ter um dispêndio mais alto".

in Pernambuco

Para poupar nestes gastos frequentes com as meninas, nada melhor que investir numa máquina de depilação definitiva, que serve para toda a família! No caso da RIO IPL 8000, uma máquina basta para uma família. O investimento irá variar da quantidade de mulheres da casa. Se tanto mãe como filha quiserem fazer a depilação definitiva, convém comprar duas lâmpadas, uma para cada. Mas uma máquina serve para as duas, e assim se risca da lista de despesas mensais a palavra "Depilação".