A fotodepilação com a Luz Pulsada Intensa é a tecnologia mais utilizada na Europa, segundo Virginia Becker, da empresa D'Pil, segundo o jornal O Diário.

De facto, enquanto laser atinge a pele, a IPL incide no pêlo, em todas as fases do ciclo de crescimento: anágena (activa), catágena (involucional) e telógena (repouso). Enquanto o laser pode provocar queimaduras à superfície da pele, por incidir na derme, a IPL não tem este risco, pois os pulsos de luz procuram a melanina, o pigmento responsável pela cor da pele e do pêlo, eliminando o pêlo desde a raiz.

A Luz Pulsada Intensa é, assim, um método mais seguro que o laser.