Investigadores da Universidade de Stanford, Estados Unidos, estão a testar a aplicação da "luz pulsada" na recuperação de movimentos musculares.

Assentes no objectivo de restaurar as actividades dos músculos em pessoas com paralisia cerebral ou de membros, e de acordo com a revista New Scientist, as primeiras experiências, realizadas em ratos, mostraram-se bem sucedidas.

As primeiras experiências foram realizadas em músculos de patas de ratos. Após anestesia, foi realizada a simulação óptica no nervo ciático e medidos os resultados, observando-se os movimentos do tendão de Aquiles.

A simulação de actividades musculares através de impulsos eléctricos permite aos pacientes com paralisia caminhar. No entanto, os sinais eléctricos activam as fibras nervosas das contracções musculares rápidas antes das lentas, acção oposta à que ocorre naturalmente, factor que faz com que as pessoas tenham movimentos robóticos, o que também as cansa mais rapidamente.

Em contrapartida, a utilização da "luz pulsada" possibilita a reprodução dos movimentos naturais dos nervos dos ratos. Assim, os cientistas esperam que a mesma técnica funcione também em humanos.

in Ajudas.com