Antes era um mundo de mulheres. Hoje é procurada por homens e mulheres, de todas as idades. Antes era vista como sinónimo de alguma futilidade ou excentricidade. Hoje é democraticamente procurada por todas as pessoas que gostam de se sentir bem e cuja auto-estima está condicionada por um ou outro pormenor da sua fisionomia.

Antes estava reservada a clínicas de luxo em pontos restritos do país, hoje proliferam lojas franchisadas de marcas que apostam na mediatização para captar clientes e disseminar novas técnicas de tratamento. A Medicina Estética é um mundo em constante evolução, onde a tecnologia vai dando sinais de inovação dia após dia, respondendo às necessidades de quem está insatisfeito com o seu corpo.

Emagrecimento, eliminação de gordura localizada, anti-envelhecimento e depilação são ambições desejadas por um número crescente de portugueses, que há muito deixou de ter tabus na procura de profissionais para corrigir aquilo que consideram estar errado no seu corpo. "Os portugueses começam a estar cada vez mais atentos e interessados nesta área. É uma batalha que tem sido travada já há alguns anos por nós, sobretudo em termos de divulgação", salienta Jorge Ferreira, nutricionista da Clínica Persona.

"Interessa-nos que os portugueses estejam cada vez mais no seu melhor e é o que tem vindo a acontecer: estão mais saudáveis, mais informados, mais atentos, mais disponíveis para mudar. É com orgulho que penso que demos passos significativos para que essa difícil mudança de mentalidades tenha vindo aos poucos a ser concretizada", reforça Jorge Ferreira, em declarações ao OJE.

Mais espaços, espalhados de Norte a Sul do país, disponibilizam hoje as mais variadas técnicas de intervenção na melhoria da imagem dos portugueses e, consequentemente, da sua auto-estima. Apostam em tarifas planas, desenhadas por sessão e exibidas à porta das clínicas e centros de tratamento. Apostam também na especialização, em vez de assumirem que tratam de tudo um pouco.

Mas aquilo que cada vez mais atrai os portugueses é a utilização de técnicas não invasivas. Não obrigar a cortes, cirurgias, pontos, pós-operatórios ou dores é algo que assume uma significativa importância para a decisão de avançar ou não com os tratamentos. Os especialistas sabem disso e apostam na inovação tecnológica para corresponder a esse desejo da sociedade.

A relação dos portugueses com a Medicina Estética deixa antever uma procura crescente, que nem mesmo a crise tem feito esmorecer. O corpo é reconhecido como cartão de visita da pessoa perante o Mundo e os portugueses estão definitivamente empenhados em melhorar a sua imagem, na exacta medida em que isso melhora o seu próprio conforto, a sua confiança e a sua qualidade de vida.

in Oje