Num desporto onde cada centésimo de segundo pode decidir uma vitória ou um recorde, atletas e técnicos acreditam há muito que a depilação é um dos detalhes que ajudam a aumentar o rendimento desportivo na natação. Já a comunidade científica têm estado dividida, mas cada vez mais investigadores defendem as vantagens competitivas de um corpo sem pêlos.

É o caso de João Paulo Vilas-Boas, professor universitário e ex-treinador da selecção nacional, para quem esta técnica ajuda claramente a melhorar a performance. O docente da Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física da Universidade do Porto explica que "a depilação é uma vantagem porque permite reduzir o arrasto de fricção imposta pela água". Alguns autores desvalorizam o seu significado prático, mas "mesmo que isso resulte numa diferença de décimos ou centésimos de segundos, em termos cronométricos acaba por ser muito expressivo já que faz a diferença entre ganhar ou não ganhar e bater ou não bater um recorde", acrescenta o autor do estudo "A importância da depilação no rendimento desportivo em natação" (Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, 2001, vol. 1, nº 2). O treinador olímpico de Portugal até aos Jogos de Atenas acrescenta ainda a importância psicológica desta técnica, quanto mais não seja "pela percepção de velocidade e de deslizamento ou pela certeza de se ter feito tudo para estar ao mais alto nível".

A verdade é que nenhum nadador de alta competição abdica da depilação e muitos até rapam também o cabelo, para poderem prescindir da touca, ou mesmo todo o corpo. No caso das mulheres, o cabelo comprido também pode ser uma dificuldade, por isso algumas atletas têm o cuidado de o colocar na touca de uma forma específica, semelhante aos capacetes dos ciclistas.

in Performance

Imagem Google