Antes que todos os equipamentos e técnicas médicas fossem desenvolvidos para que os pais descobrissem o sexo dos bebés, as mulheres criavam seus próprios métodos. Foi nos anos 80 que as ultrassonografias no Brasil começaram a indicar o os resultados com exactidão.

Hoje em dia, alguns procedimentos considerados lendas, pois não têm comprovação científica, continuam a existir na órbita dos costumes sociais. Porém, para quem não aguenta esperar os resultados médicos para saber o sexo do seu bebé, os mitos são uma boa medida para se divertir com as possibilidades.

Por exemplo, diz-se que nas mulheres que esperam um menino os pêlos crescem mais rapidamente do que nas que esperam meninas.

in Expresso MT